Índio Produtos Ópticos
 
Boa noite , seja bem vindo!
 
 

AS AMETROPIAS
Em situação normal, a luz que provém dos objetos entra no olho através da córnea, atravessa os meios transparentes do olho e chega à retina.

A córnea e o cristalino atuam como lentes, focalizando a luz sobre a retina. As células especializadas da retina transformam o estímulo luminoso em impulso nervoso, que é transmitido ao cérebro. O cérebro interpreta esses sinais, dando-se então o sentido da visão.

Chamamos de "EMETROPIA" a condição em que a luz que chega à retina proporciona uma imagem nítida, resultando numa visão normal.

Para ter uma visão normal, um grande número de pessoas necessita do uso de óculos. Esta é a forma habitual de compensar os defeitos da visão, que incluem a miopia, a hipermetropia, o astigmatismo, o estrabismo e a presbiopia.
Toda deficiência de visão corrigida com lentes é chamada de "AMETROPIA", e não devem ser entendidos como doenças, pois decorrem apenas da focalização inadequada da luz que chega à retina

 

Os defeitos de refração se devem a fatores hereditários e de desenvolvimento, sobre os quais não se tem controle. Da mesma forma como se herda cor dos olhos se herda a forma em que a córnea, o cristalino e a retina trabalham juntos para obter uma visão clara. Se, por exemplo, a córnea não é redonda, ou é muito curva, ou, ainda, muito plana em relação ao tamanho do olho, os raios luminosos, que formam as imagens, se focam adiante ou atrás da retina, resultando em um "DEFEITO DE REFRAÇÃO", ou seja, uma "AMETROPIA".

Origem das palavras:

Emetropia: Medida perfeita. (do grego “eu”=boa + “metros”=medida + “ops”=olho: “boa medida do olho”)

Ametropia: Medida imperfeita. (do grego, o prefixo "a"=negação + “eu”=boa + “metros”=medida + “ops”=olho: “não tem boa medida do olho”).

Miopia

Miopia é o distúrbio visual que acarreta uma focalização da imagem antes de esta chegar à retina. Uma pessoa míope consegue ver objetos próximos com nitidez, mas os distantes são visualizados como se estivessem embaçados (desfocados).

Para uma visão mais acurada, o ponto focal dos raios luminosos deve convergir para uma área próxima aos receptores de luminosidade (localizados na retina). No caso da miopia, o ponto focal é formado antes, o que pode acontecer por vários motivos:
a - Excesso de poder dióptrico positivo do cristalino;
b - Excesso de curvatura da córnea e, por conseguinte, de seu poder dióptrico positivo;
c - Excessivo alongamento do globo ocular;
d - Combinação dos fatores anteriores.

Sintomas da Miopia
Um dos sintomas que podemos considerar como um dos primeiros de um olho míope é a má visão ao longe, estando a visão ao perto salvaguardada.
No entanto, é evidente que se um indivíduo é míope de muitas dioptrias (ou graus), para ver bem de perto, teria que aproximar-se muito, o que é um fator muito cansativo e incômodo.

O sintoma que mais é relatado e que com frequência anuncia o aparecimento de miopia é a visão turva dos objetos distantes.
É frequente que nos primeiros estágios do problema, o indivíduo não se dê conta da perda de visão. Por este motivo, há que comprovar-se, junto da visão turva, existe o pestanejar constante, dores de cabeça ou tensão ocular.


Correção da miopia

Pelo uso de lente côncava, também chamada de negativa ou divergente, que desloca o ponto focal para trás.

No olho míope em repouso os raios paralelos de objetos distantes são focalizados adiante da retina. A potência do sistema óptico é excessiva para o comprimento do olho e os objetos distantes perdem a nitidez. Por outro lado, a visão de objetos próximos é nítida, pois, sua imagem forma-se na retina.


Hipermetropia

Hipermetropia é o nome dado ao erro de focalização da imagem no olho, fazendo com que a imagem seja formada após a retina. Isso acontece principalmente porque o olho do hipermétrope é um pouco menor do que o normal. Outras causas incluem situações onde a córnea e/ou o cristalino apresentam alterações no seu formato que diminuem o seu poder refrativo, como a megalocórnea, onde a córnea é mais plana do que deveria ser.

Sintomas da Hipermetropia

Uma pessoa com hipermetropia tem dificuldade para visualizar os objetos próximos, porém, visualiza mais claramente a longas distâncias.

No entanto, na visão a longas distâncias implica em um esforço da musculatura ciliar para focar a imagem corretamente na retina. O esforço permanente de acomodação pode causar dor de cabeça e/ou cansaço visual.


Correção da Hipermetropia
A hipermetropia pode ser corrigida com lentes positivas (também chamadas lentes convergentes ou convexas) a fim de aumentar a potência do sistema óptico de forma que os raios paralelos de objetos distantes comecem a convergir antes de penetrar no olho para serem focalizados na retina com o músculo ciliar relaxado. Para a visão de perto o olho utiliza a acomodação normal.


Astigmatismo
O astigmatismo é uma deficiência visual causada pelo formato irregular da córnea ou do cristalino, formando uma imagem em vários focos que se encontram em eixos diferenciados.

Uma córnea normal é redonda e lisa. Nos casos de astigmatismo, a curvatura da córnea é mais ovalada, como uma bola de futebol americano. Este desajuste faz com que a luz se refrate por vários pontos da retina em vez de se focar em apenas um. Para as pessoas que sofrem de astigmatismo, todos os objetos próximos e longes ficam distorcidos.

As imagens ficam embaçadas porque alguns dos raios de luz são focalizados e outros não. A sensação é parecida com a distorção produzida por um pedaço de vidro ondulado.

O astigmatismo é hereditário e pode ocorrer em conjunto com a miopia, hipermetropia ou presbiopia. Um astigmatismo brando pode desenvolver-se ao longo dos anos, devido à alteração da curvatura da córnea.

Sintomas do AstigmatismoO astigmatismo brando pode ser assintomático, já o astigmatismo mais intenso pode causar sintomas como visão borrada, astenopia (cansaço visual), fadiga ou dores de cabeça.

Correção do AstigmatismoO Astigmatismo pode ser corrigido com o uso de lente oftálmica chamada tórica ou cilíndrica (que faz com que os raios de luz se concentrem em um plano único).


Presbiopia

Presbiopia, popularmente conhecida como "vista cansada", é um caso particular de hipermetropia que atinge as pessoas, normalmente, a partir dos 40 anos. Pessoas com Hipermetropia ou Diabetes mellitus tendem a apresentar a presbiopia mais precocemente, ao redor dos 35 anos de idade.

Na fisiologia normal do olho, para se enxergar de perto, é necessário que o poder refrativo do olho seja aumentado, para que a imagem seja focalizada. A 33 cm, que é a distância normal de leitura, é necessário um aumento de 3 dioptrias para que a imagem seja vista com nitidez. Nós conseguimos fazer isso contraindo pequenos músculos dentro do olho, os músculos ciliares, que modificam o formato do cristalino, aumentando o seu poder dióptrico, processo este chamado de acomodação.

A presbiopia é causada por vários fatores, entre eles o aumento contínuo do cristalino e perda de elasticidade de sua cápsula, o que leva a que os músculos ciliares não consigam mais modificar o seu formato, causando falta de focalização para as imagens de perto. Este processo é progressivo, e piora com o aumento da idade, mas normalmente se estabiliza ao redor dos 60 anos.

A presbiopia afeta por igual à míope e hipermétrope, começando antes neste último. Ademais afeta aquelas pessoas que nunca usaram óculos. Esta situação é muito chocante para elas, porque observam uma queda repentina na qualidade da visão de perto. Mas isto não deve ser motivo de preocupação, pois como já falamos, trata-se de uma condição puramente fisiológica e pode ser corrigida com as lentes adequadas.

Sintomas da Presbiopia
Em torno dos 40 anos, o usuário de óculos com visão simples (míope, hipermétrico e/ou astigmata) ou mesmo aqueles sem qualquer problema de visão anterior começa a ter visão borrada para perto (leitura, computador, etc.).

Correção da Presbiopia
A correção da presbiopia é realizada com o uso de lentes multifocais, bifocais ou visão simples (óculos para leitura).


Estrabismo

Estrabismo é um defeito no alinhamento dos olhos, ou seja, eles apontam para diferentes direções.
O desvio pode ser notado sempre ou esporadicamente. Um olho pode estar direcionado para frente enquanto o outro pode virar para dentro, para fora, para cima ou para baixo. Às vezes, o olho desviado pode endireitar e o olho reto pode desviar. Estrabismo é uma condição comum entre as crianças, afetando cerca de 4% da população, mas também pode ocorrer mais tarde na vida. Pode ser hereditário.


Todo estrábico tem visão dupla. Geralmente o estrábico tem uma ametropia que causou o abandono de um dos olhos, fazendo com que a visão do olho abandonado fique atrofiada. Com a visão atrofiada o olho toma uma posição qualquer, saindo da posição normal. Quando o estrábico (até dois anos) tenta fundir as duas imagens e não consegue, abandona a visão em um dos olhos e daí surge o estrabismo.
Entre os dois e três ano de idade poderá ser tratado com bastante eficiência por um profissional. Depois desta idade torna-se problemática sua recuperação. Depois de estabelecido, o estrabismo pode ser corrigido com o uso de lentes prismáticas.


Sintomas do Estrabismo

Visão dupla, ou visão monocular, causada pelo abandono da imagem gerada pelo olho desviado. Também trás problemas estéticos quando o desvio for de grande proporção.

Correção do Estrabismo

A correção do Estrabismo é realizada com o uso de lente prismática, na qual um dos lados fica mais fino, como na figura ao lado.


















voltar
Índio Produtos Ópticos
  Softwebhost